“Dupla delícia! O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado”. Mário Quintana

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Dica de leitura: "Pigmaleão"

Pigmaleão
de George Bernard Shaw
(tradução de Millôr Fernandes)


O Pigmalião da mitologia antiga apaixona-se pela estátua que ele próprio esculpiu. A peça Pigmaleão, de Bernard Shaw, conta a história de Eliza Doolitle, uma vendedora de flores ambulante na Londres do início do século 20. Sua linguagem é uma afronta à língua inglesa, seu vocabulário, paupérrimo e de baixo calão, e sua pronúncia, uma desgraça. Um eminente fonético impõe a si mesmo um desafio: reeducá-la e fazê-la passar por uma dama da sociedade. Mas esse será apenas o início dessa comédia deliciosa em que Shaw denuncia as diferenças sociais e de classe. Neste livro Millôr Fernandes faz muito mais do que uma tradução. Enfrentando a enorme complexidade da obra de Shaw, Millôr adapta e recria, conseguindo a proeza de transmitir na íntegra o sabor e a genialidade do texto original.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Frase do dia - 29.11.11

Ao invés de uma frase, um pequeno poema de Clarice Pacheco.

Viajar pela leitura

Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim sem compromisso,
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça 
na imaginação!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Dica de leitura: "Quem tem medo de escuro?"

Quem tem medo de escuro?
de Sidney Sheldon


Em Nova York, Denver, Paris e Berlim, quatro pessoas morrem em circunstâncias diferentes.
Há apenas uma ligação entre elas: todas trabalhavam para o KIG, o Kingsley International Group, importante empresa de pesquisa de alta tecnologia, envolvida em estratégia militar, telecomunicações e questões ambientais.
Logo percebe-se que as mortes não foram acidentais. E as viúvas de duas das vítimas, Diane e Kelly, passam a ser alvo de sucessivas tentativas de assasinato. Apavoradas, suspeitando uma da outra e armadas apenas de suas inteligências, tornam-se aliadas em um jogo mortal, no qual apostam as próprias vidas para descobrir a verdade.
À medida que chegam ao fundo do mistério, começam a desvendar os segredos aterrorizantes que o KIG luta para ocultar. E percebem estar no meio de uma trama diabólica que pode afetar todo o destino do planeta.
No estilo cativante que conquistou mais de 300 milhões de leitores em todo mundo, Sidney Sheldon conta uma história nova cheia de suspense e com personagens inesquecíveis. Um grande romance de um dos maiores e mais populares autores de nosso tempo.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Dica de leitura: "Não leve a vida tão a sério"

Não leve a vida tão a sério
de Hugh Prather


A vida não precisa ser tão complicada quanto insistimos em torná-la. A simples decisão de não se agarrar aos problemas pode melhorar - e muito - nossas vidas. É isso o que Hugh Prather nos mostra, com humor e clareza, neste livro.
Ele escreve sobre as dificuldades do dia-a-dia e nos dá ferramentas para contorná-las, mudando o que há de mais importante na vida: nossa atitude mental e a forma de reagir aos inevitáveis contratempos.
Seus ensinamentos são baseados em histórias reais que nos deixam com a sensação de já ter passado por aquela situação ou ter testemunhado algo parecido.
Você aprenderá soluções práticas para dar um basta às preocupações e ao medo, e se libertar de tudo aquilo que impede sua felicidade.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Frase do dia - 18.11.11

A leitura após certa idade distrai excessivamente o espírito humano das suas reflexões criadoras. Todo o homem que lê de mais e usa o cérebro de menos adquire a preguiça de pensar. (Albert Einstein)

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Dica de leitura: "Os Maias"

Os Maias
de Eça de Queiroz


Os Maias foi escrito em dois volumes e publicado em 1888. Conta a história de uma família reduzida a duas pessoas: o elegante, inteligente e civilizado Carlos de Maia e seu rico e austero avô, Afonso de Maia, que o criou e o educou, depois da fuga de sua mãe com um aventureiro napolitano e do suicídio de seu pai. É ainda, em grande parte, um painel da vida portuguesa, dos ridículos da sociedade lisboeta, de sua aristocracia ociosa e parasitária, dos políticos vazios e incompetentes, do meio literário e jornalístico. Um quadro completo e - pode-se dizer - devastador.
Mas o tema central são os amores de Carlos de Maia. Primeiro, os amores de ocasião que não lhe deixaram sinal. Depois, o grande amor de sua vida: Maria Eduarda. Inexcedível na sua beleza sem rival, mais deusa que mulher. Quando Carlos a viu pela primeira vez, foi um momento de alumbramento. Ambos se apaixonaram perdidamente. Tinham, de fato, nascido um para o outro. Só que o destino ia separá-los por um obstáculo único e instransponível. Nesse desencontro é que está a tragédia de Os Maias.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Dica de leitura: "Fernando Pessoa - Poesias"

Fernando Pessoa - Poesias
de Fernando Pessoa


Neste livro, foram reunidas algumas das mais célebres criações do poeta em suas diversas fases e de seus heterônimos.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

XI Feira do Livro e III Mostra Pedagógica Municipal

A Secretaria Municipal de Educação de Cerro Branco convida a todos para prestigiarem a XI Feira do Livro e III Mostra Pedagógica Municipal, que acontecerá nos próximos dias 09, 10 e 11de novembro, no Ginásio Municipal de Esportes. 
Confira a programação completa:

09/11 - Quarta Feira
Tarde:
13h30min: Solenidade de Abertura com a participação da Banda Marcial da EMEF David Unfer;
14h30min: Peça Teatral: "Bom dia todas as cores", de Ruth Rocha. - Grupo Teatral Cara&Coragem, de Candelária. Local: Centro de Múltiplo Uso Chico Streck.
15h30min: Peça Teatral: "Bom dia todas as cores", de Ruth Rocha. - Grupo Teatral Cara&Coragem, de Candelária. Local: Centro de Múltiplo Uso Chico Streck.
14h às 17h: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.

Noite:
18h30min às 22h: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.
18h30min: Momento Musical à cargo da Banda do Colégio Estadual Cerro Branco. Palestra "Adolescência, agrotóxicos e cuidado com o Meio Ambiente", com a farmacêutica Ana Waltz, da EMATER/ASCAR, de Porto Alegre - RS. Local: Auditório do Colégio Estadual Cerro Branco.

10/11 - Quinta-Feira
Manhã:
8h30min às 11h30min: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.

Tarde:
13h30min às 17h: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.
13h30min: Palestra com o Escritor Losé Luiz dos Santos, de Santa Maria. Local: Auditório do Colégio Estadual Cerro Branco.
14h30min: Sessão de Cinema. Local: Auditório do Colégio Estadual Cerro Branco.

Noite:
18h30min às 22h: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.
18h30min: Encontro Motivacional "Valorização da Vida", com o palestrante José Fernando Petry, de Montenegro. Local: Auditório do Colégio Estadual Cerro Branco.

11/11 - Sexta-Feira
Manhã:
8h30min às 11h30min: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.
9h: Momento Musical à cargo da Banda do Colégio Estadual Cerro Branco.
Show da CIA da Alegria (Palhaços, Malabaristas, Mágicos, Atividades Culturais e muito mais). Valor: R$ 2,00. Local: Ginásio de Esportes.

Tarde:
13h30min às 17h: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.
14h: Show da CIA da Alegria (Palhaços, Malabaristas, Mágicos, Atividades Culturais e muito mais). Valor: R$ 2,00. Local: Ginásio de Esportes.

Noite:
18h30min às 21h: Visitação à Mostra Cultural e Pedagógica Municipal.
19h: Festival de Talentos Estudantis.
Apresentação do Grupo Bate Viola, com músicos de Lagoa Bonita do Sul.
21h: Encerramento da XI Feira do Livro e III Mostra Pedagógica e Cultural Municipal.

Frase do dia - 08.11.11

De um autor inglês do saudoso século XIX: O verdadeiro gentleman compra sempre três exemplares de cada livro: um para ler, outro para guardar na estante e o último para dar de presente." Mário Quintana

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Dica de leitura: "Feliz ano velho"

Feliz Ano Velho
de Marcelo Rubens Paiva


Feliz Ano Velho é um fenômeno editorial. Publicado pela primeira vez em dezembro de 1982, desperta interesse em leitores exigentes e eventuais. Explicar esse fenômeno é puro exercício de ficção.
Talvez sua linguagem coloquial sintética e inovadora, num estilo precursor que até hoje influencia novos escritores, seja um elemento da fórmula bem sucedida.
Ou quem sabe a trama, o carisma do narrador, ou os personagens bem construídos.
Marcelo, o narrador, é um jovem à procura de um ideal: superar com humor e verdade alguns traumas da sua vida - como o desaparecimento político do pai, o deputado socialista por São Paulo, Rubens Beyrodt Paiva, em janeiro de 1971 -, e o acidente que o deixou deficiente aos 20 anos de idade em dezembro de 1980.
Marcelo conta sua história com maestria, revelando sentimentos que o ligam à sua geração. A sinceridade sem limites do autor e a forma como destrincha alguns temas da época tocam com sutileza em alguns tabus, entre eles o erotiosmo.
O livro foi traduzido para diversos idiomas e esteve quatro anos em primeiro lugar na lista dos mais vendidos, garantindo ao escritor e jornalista Marcelo Rubens Paiva, reconhecimento e os mais importantes prêmios literários brasileiros - como Jabuti e Moinho Santista - colocando-o  no hall dos escritores contemporâneos de maior prestígio.
Adotado em muitas escolas e faculdades, dentro e fora do Brasil, foi adaptado pelo cinema pelo diretor Roberto Gervitz com a produção da Tatu Filmes e, para o teatro por Alcides Nogueira, com a direção de Paulo Betti.
Feliz Ano Velho não é só um ato de amor à literatura, é também o gosto e a coragem de viver.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Dica de leitura: "A cidade e as serras"

A cidade e as serras
de Eça de Queiroz


Este livro, publicado um ano após a morte de Eça de Queiroz, mostra um escritor menos cáustico e nem tão ácido em relação a sociedade burguesa do seu tempo. Mas se é menos agressivo e contuntente, segue sendo divertido, irônico, abordando um tema original e manejando a sátira com elegância, palavra que alcança com precisão toda a prosa de Eça de Queiroz.
A cidade e as serras é basicamente uma sátira ao culto da tecnologia. Revela um personagem que se tornou célebre em sua obra, Jacinto de Tormes, o dândi espirituoso, português residente em Paris, homem inteiramente em dia com todos os avanços tecnológicos. Do outro lado, Zé Fernandes, um crítico das grandes cidades, do progresso, e denunciador de seus malefícios.